segunda-feira, 29 de janeiro de 2007


Há criaturas e criaturas!
Umas, que não é o caso desta, desconfio que andam neste mundo por verem andar os outros!

domingo, 28 de janeiro de 2007

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

porque o carnaval se aproxima...

...
Fiz de mim o que não soube
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.
Quando a tirei e me vi ao espelho,
Já tinha envelhecido.
Estava bêbado, já não sabia vestir o dominó que não tinha tirado.
Deitei fora a máscara e dormi no vestiário
Como um cão tolerado pela gerência
Por ser inofensivo
E vou escrever esta história para provar que sou sublime.
...
Álvaro de Campos

quinta-feira, 18 de janeiro de 2007


Adiamento


Depois de amanhã, sim, só depois de amanhã…

Levarei amanhã a pensar em depois de amanhã,

E assim será possível; mas hoje não…

Não, hoje nada; hoje não posso.

A persistência confusa da minha subjetividade objetiva,

O sono da minha vida real, intercalado,

O cansaço antecipado e infinito,

Um cansaço de mundos para apanhar um elétrico…

Esta espécie de alma…

Só depois de amanhã…

Hoje quero preparar-me,

Quero preparar-me para pensar amanhã no dia seguinte…

Ele é que é decisivo.

Tenho já o plano traçado; mas não, hoje não traço planos…

Amanhã é o dia dos planos.

Amanhã sentar-me-ei à secretária para conquistar o mundo;

Mas só conquistarei o mundo depois de amanhã…

Tenho vontade de chorar,

Tenho vontade de chorar muito de repente, de dentro…
Não, não queiram saber mais nada, é segredo, não digo.

Só depois de amanhã…

Quando era criança o circo de domingo divertia-me toda a semana.

Hoje só me diverte o circo de domingo de toda a semana da minha infância…

Depois de amanhã serei outro,

A minha vida triunfar-se-á,

Todas as minhas qualidades reais de inteligente, lido e prático

Serão convocadas por um edital…

Mas por um edital de amanhã…

Hoje quero dormir, redigirei amanhã…

Por hoje, qual é o espetáculo que me repetiria a infância?

Mesmo para eu comprar os bilhetes amanhã,

Que depois de amanhã é que está bem o espetáculo…

Antes, não…Depois de amanhã terei a pose pública que amanhã estudarei.

Depois de amanhã serei finalmente o que hoje não posso nunca ser.

Só depois de amanhã…

Tenho sono como o frio de um cão vadio.

Tenho muito sono.

Amanhã te direi as palavras, ou depois de amanhã…

Sim, talvez só depois de amanhã…
O porvir…

Sim, o porvir…


Álvaro de Campos

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

será

que Comer não é um círculo, ciclo, vicioso?




Pergunto eu, bá!!!

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

segunda-feira



não há sábado sem sol, domingo sem missa e segunda sem preguiça!

sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

“Se há um Deus
Que te aprova
Esse Deus
Não me assiste

Um de nós
É a prova
de que Deus
não existe”




(”Instantes-1-“,David Mourão-Ferreira do Livro Os Ramos/Os Remos, pág.48, Areal Editores, 1985)

quarta-feira, 10 de janeiro de 2007


“ No meu princípio está o meu fim.
...
O que chamamos o princípio é muitas vezes o fim
E terminar é começar.
É do fim que nós partimos. “




(Poema de T. S. Eliot, do livro “Quatro Quartetos”, página 79 Edições Ática, 1983)



segunda-feira, 8 de janeiro de 2007