terça-feira, 28 de dezembro de 2010

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Álvaro de Campos
O que há em mim é sobretudo cansaço —
O que há em mim é sobretudo cansaço —
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.
A subtileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas —
Essas e o que falta nelas eternamente —;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.
Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada —
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimo, íssimo, íssimo,
Cansaço...

sábado, 11 de dezembro de 2010

onda

Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração
Pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...

O resto é mar
É tudo que eu não sei contar
São coisas lindas
Que eu tenho prá te dar
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...

Da primeira vez
Era a cidade
Da segunda o cais
E a eternidade...

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas
Que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite
Vem nos envolver...

Vou te contar
Os olhos já não podem ver
Coisas que só o coração
Pode entender
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...

O resto é mar
É tudo que eu não sei contar
São coisas lindas
Que eu tenho prá te dar
Fundamental é mesmo o amor
É impossível ser feliz sozinho...

Da primeira vez
Era a cidade
Da segunda o cais
E a eternidade...

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas
Que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite
Vem nos envolver...

Da primeira vez
Era a cidade
Da segunda o cais
E a eternidade...

Agora eu já sei
Da onda que se ergueu no mar
E das estrelas
Que esquecemos de contar
O amor se deixa surpreender
Enquanto a noite
Vem nos envolver...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Come a little bit closer
Hear what I have to say
Just like children sleepin'
We could dream this night away.

But there's a full moon risin'
Let's go dancin' in the light
We know where the music's playin'
Let's go out and feel the night.

Because I'm still in love with you
I want to see you dance again
Because I'm still in love with you
On this harvest moon.

When we were strangers
I watched you from afar
When we were lovers
I loved you with all my heart.

But now it's gettin' late
And the moon is climbin' high
I want to celebrate
See it shinin' in your eye.

Because I'm still in love with you
I want to see you dance again
Because I'm still in love with you
On this harvest moon.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

no fim..

No fim tu hás-de ver...

No fim tu hás-de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento...


Mário Quintana

(poema roubado à LU :)

on my mind...

Dá-me Um AbraçoMiguel Gameiro
Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que o nada é tanto
E eu não me importo

Dá-me um abraço fica por perto
Neste aperto tão pouco espaço
Não quero mais nada, só o silêncio
Do teu abraço


Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço


Dá-me um abraço que me desperte
E me aperte sem me apertar
Que eu já estou perto abre os teus braços
Quando eu chegar


É nesse abraço que eu descanso
Esse espaço que me sossega
E quando possas dá-me outro abraço
Só um não chega

Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço


Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço


E estando longe, estive tão perto

Do teu abraço


domingo, 5 de dezembro de 2010

sábado, 4 de dezembro de 2010


"No Outono as folhas são diferentes,
umas têm recortes e outras não.
As folhas andam pelo ar muito contentes,
mas, depois acabam por cair no chão."
Ana L.



Não sendo assim fica OUTONO

O Jardim

Consideremos o jardim, mundo de pequenas coisas,
calhaus, pétalas, folhas, dedos, línguas, sementes.
Sequências de convergências e divergências,
ordem e dispersões, transparência de estruturas,
pausas de areia e de água, fábulas minúsculas.

Geometria que respira errante e ritmada,
varandas verdes, direcções de primavera,
ramos em que se regressa ao espaço azul,
curvas vagarosas, pulsações de uma ordem
composta pelo vento em sinuosas palmas.

Um murmúrio de omissões, um cântico do ócio.
Eu vou contigo, voz silenciosa, voz serena.
Sou uma pequena folha na felicidade do ar.
Durmo desperto, sigo estes meandros volúveis.
É aqui, é aqui que se renova a luz.

António Ramos Rosa, in "Volante Verde"





segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Lou Reed

Oh, it's such a perfect day
I'm glad I spend it with you
Oh, such a perfect day
You just keep me hanging on
You just keep me hanging on

Hoje acordei com esta música no ouvido, ou melhor no pensamento, e encontrei uma versão que gostei bastante. Vejam aqui

Já lá vão 13 anos...

Versão II

para Jorge Sousa Braga

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Afinal era a cobra envenenando...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Candi Stanton,"You got the love" Vs Massive Attack,(unfinished symphony).

Florence + The Machine - You've Got the Love


Esta música já tem alguma idade, mas renasceu. O original é de Candi Staton

das duas uma:

ANÁLISE
Tão abstrata é a idéia do teu ser
Que me vem de te olhar, que, ao entreter
Os meus olhos nos teus, perco-os de vista,
E nada fica em meu olhar, e dista
Teu corpo do meu ver tão longemente,
E a idéia do teu ser fica tão rente
Ao meu pensar olhar-te, e ao saber-me
Sabendo que tu és, que, só por ter-me
Consciente de ti, nem a mim sinto.
E assim, neste ignorar-me a ver-te, minto
A ilusão da sensação, e sonho,
Não te vendo, nem vendo, nem sabendo
Que te vejo, ou sequer que sou, risonho
Do interior crepúsculo tristonho
Em que sinto que sonho o que me sinto sendo.
Fernando Pessoa, 12-1911

ou o senhor era grande alma ou consumia algumas coisitas, poucas!!

NOTA: para que conste, gosto bastante dele mas não resisti à piada...e não chamaria Análise mas sim Labirinto

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Porque tenho Coroa de Rei?
É algo que bem não sei
Deram-me um bastão pra mão
Vestiram-me com armação

E o Pajem a sorrir:
- Majestade, pra rua ides partir
Pelo Povo, com razão
E oferecer o Coração

Dizem-me se estou errado?
Ou só triste e amargurado?
Rei sem nome? Rei sem cor?
Não achais que é muita dor?

Majestade ides ver
Tudo se vai resolver
Há sempre uma solução
pra içar o nariz do chão

Enfrentai o vosso povo
Ele vos há-de ajudar
o que precisais fazer
É simplesmente falar

Encaminhai-vos pra varanda
O Povo espera a demanda
- Ó meninos deste reino
Querem já fazer um treino??

grita o pajem:
-Tragam o lápis e o papel
que está preso com cordel
Diz o Rei mais animado:
- que bem agem meus meninos
e tudo tão educado

Dai-me um nome por favor
que eu dar-vos-ei uma flor
Pode cor na minha face
pra me avivar como alface

Obrigado por me ouvirdes
E escutardes as minhas preces
Hei-de ter nome e ter cor
E amar-vos com eplendor!!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

" Está tudo tão calmo que parece quase impossível. Mas impossível porquê? Porque (por que???) há sempre uma voz, um telemóvel a quebrar essa paz, essa calma. Há a voz dos políticos a quebrar a paz do povo com economias estridentes; há o vizinho do lado com o ranger de dentes da porta. Talvez fosse bom levar a porta ao dentista e conjuntamente, a nossa política, que bem precisa de um tratamento b(v)ocal."

(H)eter



Na pausa do café esqueço a escrita, deito as letras na chávena, esqueço a caneta lá dentro e tinjo a água de café...


Rápido, subo o alfabeto para mais uma varanda de palavras.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

perdidos e achados

Foi encontrado um anzol dentro do meu pêxinho, se alguém souber do paradeiro do pescador...

terça-feira, 12 de outubro de 2010

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

sábado, 2 de outubro de 2010

BOm Diiia!!

Parabéns aos pais paRabéns à mana paraBéns aos avós parabéNs aos tios parabénS
obrigado à vida!

"Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes." (William Shakespeare)

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

sábado, 25 de setembro de 2010

Ai a Educação, a Educação...

Esta mania de novas constantes propostas, cheiram-me àquelas Mães Galinha, que invés de educarem os seus filhos, embrutecem-nos de tanta alternativa!
E ainda perguntam: "Que queres comer?" como se soubessem o que é melhor... "o que queres comer? Queres massa à Bolonha ou queres Currículo bem passado e Adaptado? Vá, o que queres, dou-te mais Oportunidades

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Banksy

Mas quem será o pai da Criança?
(fazendo a piada pimba...)

Uns defendem o individual outros o colectivo, anónimo mais famoso do mundo: Banksy

terça-feira, 21 de setembro de 2010

ER

Passem por aqui
delicioso achei :)

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

VIRGEM SUTA | Linhas Cruzadas (ao vivo)


bem ao modo dos amores adolescentes...e falas do tempo prolongas o momento...larararei lararara

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Apesar das opiniões abonatórias ou contraditórias relativamente ao conceito de inteligência artificial, a realidade é que no nosso quotidiano nos vamos deparando com pequenos objectos que, mesmo não parecendo, utilizam este tipo de tecnologia.

É o caso de Nadia, uma máquina fotográfica que «pensa» e comunica ao fotógrafo qual a melhor perspectiva para fotografar determinado objecto, pessoa ou paisagem.
Caracteriza-se por ser apenas uma caixa preta, de linhas rectas, na qual não existe nenhum visor que permita pré-visualizar o que se quer fotografar e posicionar-se de acordo com aquilo que na sua opinião é o melhor ângulo, ao contrário do que é convencional.

O seu criador define-a como uma câmara de inferência estética, uma vez que pemite inferir acerca da qualidade estética das imagens que captura. O funcionamento desta máquina, desenvolvida por Andrew Kupresanin nas aulas de Classe Digital da Universidade de Artes de Berlim, explica-se de forma relativamente simples.

Dentro do seu corpo preto compacto está um Nokia N73 que utiliza a tecnologia Bluetooth para transmitir a imagem a uma aplicação num Mac, que se encontra ligado a uma máquina de inferência da qualidade estética, Acquine, que por sua vez analisa a imagem e reenvia a informação relativa à sua qualidade traduzida em percentagem. Desta forma, o fotógrafo apenas tem de se movimentar até ver o número apresentado aproximar-se de cem por cento.



Mais em: http://obviousmag.org/archives/2010/09/nadia_-_uma_camara_com_inteligencia_artifical.

domingo, 12 de setembro de 2010

sooo nice


Enquanto fazia uma pesquisa sobre trabalhos feitos em papel. Deparei-me com esta artista: Jen Stark, que faz esculturas com papel.

"Multiple layers as metaphor for the many layers a personality may have… How poetic cardboard can be! So, apart from your paper explosions, what inspired your beautiful, fragile paper leaves as silhouettes?

I live in Miami, Florida, and these leaves came off of trees from my parent’s backyard. They are called sea-grape trees because the trees produce grape-looking berries. I was searching for something to cut into and I decided to try a leaf because it is pretty thick and strong. I was inspired by how leaves can naturally turn into skeletons over time – losing the green part and keeping only the veins. I wanted to simulate this with my X-Acto."

(Entrevista da Ping Magazine)

domingo, 5 de setembro de 2010

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Grande FEIO

Há Pessoas Com Grande Perfil...
Agora, tudo que se possa dizer deste grande senhor, são conversas da treta.
a cultura portuguesa está a empobrecer a alta velocidade e entristece...

quarta-feira, 21 de julho de 2010

procurava algo de Jorge Sousa Braga...em vão...já postei tudo o que consigo encontrar na net....
...fica uma foto, alguém faça um poema à imagem...
têm as férias para o fazer :)))
que os dias vos sorriam

sexta-feira, 16 de julho de 2010