terça-feira, 18 de dezembro de 2007

sábado, 15 de dezembro de 2007

Kings of convenience - Winning a battle, losing the war

Winning A Battle, Losing The War lyrics

Even though I'll never need her,
even though she's only giving me pain,
I'll be on my knees to feed her,
spend a day to make her smile again
Even though I'll never need her,
even though she's only giving me pain
As the world is soft around her,
leaving me with nothing to disdain.

Even though I'm not her minder,
even though she doesn't want me around,
I am on my feet to find her,
to make sure that she is safe and sound.
Even though I'm not her minder,
even though she doesn't want me around,
I am on my feet to find her,
to make sure that she is safe from harm.

The sun sets on the war,
the day breaks and everything is new...


Há músicas, ou melodias (não sei bem, não sou expert...) que me causam um misto de sensações, estranheza, boa... :)

domingo, 9 de dezembro de 2007

sábado, 8 de dezembro de 2007

I wish...


It's not the red of the dying sun
The morning sheets' surprising stain
It's not the red of which we bleed
The red of cabernet savignon
A world of ruin all in vain
It's not that red
It's not that red
It's not that red
It's not as golden as Zeus's famous shower
It's doesn't, not at all, come from above
It's in the open but it doesn't get stolen
It's not that gold
It's not as golden as memory
Or the age of the same name
It's not that gold
It's not that gold
It's not that gold
It's not gold at all
I wish that would be your color
I wish this would be your color
I wish this would be your color
Your color, I wish
It is as black as Malevich's square
The cold furnace in which we stare
A high pitch on a future scale
It is a starless winter night's tale
It suits you well
It is that black
It is that black
It is that blackIt is that black
I wish this would be your color
I wish this would be your color
I wish this would be your color...
Einstürzende Neubauten

domingo, 2 de dezembro de 2007

insanidade....



Há momentos na nossa vida que julgamos elouquecer, até ao momento em que encontramos outro louco, que tal como nós, julga estar a elouquecer. Então ficamos felizes porque afinal julgamos não estar loucos...

perceberam alguma coisa??? Também não...

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

"Ana Quer"


"A Ana quer
nunca ter saído da barriga da mãe
cá fora está-se bem
mas na barriga também era divertido
o coração ali à mão
os pulmões ali ao pé
ver como a mãe é
do lado que não se vê

O que a Ana mais quer ser
quando for grande e crescer
é ser outra vez pequena
não ter nada que fazer
não ser pequena e crescer
de vez em quando nascer
e voltar a desnascer
a Ana quer..."
(música do Bando dos Gambozinos
letra de Manuel António Pina)

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Hugo

Digam lá que isto não é uma delícia? Cada vez aprecio mais este senhor, o seu traço, expressividade.
Estou tão invejosa :)





segunda-feira, 26 de novembro de 2007


Afinal há alguns Cortos por aí...
...eles andam aí...

terça-feira, 20 de novembro de 2007

HAJA FENO



No Curso de Medicina, o professor dirige-se ao aluno e pergunta:
Quantos rins nós temos?
Quatro! Responde o aluno.
Quatro? - Replica o professor, arrogante, daqueles que têm prazer em gozar sobre os erros dos alunos. Traga um molho de feno, pois temos um asno na sala - ordena o professor ao seu auxiliar.
E para mim um cafezinho! - Replicou o aluno ao auxiliar do mestre.
O professor ficou irado e expulsou o aluno da sala. O aluno era, o humorista Aparício Torelly Aporelly (1895-1971), mais conhecido como o 'Barão de Itararé' .
Ao sair da sala, o aluno ainda teve a audácia de corrigir o furioso mestre: O senhor perguntou-me quantos rins "nós temos". "Nós" temos quatro: dois meus e dois seus. Tenha um bom apetite e delicie-se com o feno.
A vida exige muito mais compreensão do que conhecimento!


Ás vezes as pessoas, por terem mais um pouco de conhecimento ou acreditarem que o tem, acham-se no direito de subestimar os outros...
Haja feno

(Mensagem recebida por e-mail)


quarta-feira, 14 de novembro de 2007

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

terça-feira, 30 de outubro de 2007

The Night
Morphine

You're the night, Lilah. A little girl lost in the woods.

You're a folk tale, the unexplainable
You're a bedtime story. The one that keeps the curtains closed.
I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.
It's too dark to see the landmarks. I don't want your good luckcharms.
I hope you're waiting for me across your carpet of stars.
You're the night, Lilah. You're everything that we can't see.
Lilah, you're the possibility.
You're the bedtime story. The one that keeps the curtainsclosed.
And I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.
Unknown the unlit world of old. You're the sounds I never heardbefore.
Off the map where the wild things grow. Another world outside mydoor.Adicionar imagem
Here I stand I'm all alone. Drive me down the pitch black road.
Lilah you're my only home and I can't make it on my own.
You're a bedtime story. The one that keeps the curtains closed.
And I hope you're waiting for me cause I can make it on my own.
I can make it on my own.
You're the paint can falling off the wall at the door that slamsat the end of the hall where the kid rings sounds of basketball.
The battle of the earth of the angels. The shifting snow driftsso realistic, so realistic - call you carpet of stars. See thereis something in the yard. It's awful dark. With the paintedstrings, the cross, the good luck charm, the prayer, the extralayer. The group ???...

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Les Mystérieuses Cités d'Or (1982)

Que saudades desta série...
Alguém se lembra?

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

terça-feira, 7 de agosto de 2007

quinta-feira, 19 de julho de 2007

segunda-feira, 16 de julho de 2007

A viagem



Uma viagem com esta maravilhosa companhia 8)

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 6 de julho de 2007

segunda-feira, 2 de julho de 2007

The nigth

O reflexo da lua no mar é qualquer coisa deslumbrante.

sexta-feira, 29 de junho de 2007

terça-feira, 19 de junho de 2007

cruzes credo

Cada qual carrega as suas cruzes! Cristo teve uma.


Eu, já vou na segunda...





domingo, 17 de junho de 2007

Esfola dedos, bota!

Esta tarde deu-me para isto...




Ainda consegui ver isto...



quinta-feira, 14 de junho de 2007

Bic Runga

When I see you smile
It feels like I'm falling
It's not for anybody else to know
The way your face could light the bitter dark of every street
In every town I'll ever go
It's not for anybody else to know
For anybody else to know
When I see you smile
First thing in the morning
It raises curtains on your lazy eyes
Could it be that you and I have the greatest love to ever be
How could this have ever been before?
It's not for anybody else to know
For anybody else to know
When Friday night arrives
We'll let it pass outside the door
This is not for anybody else
Anybody else to know
Bic Runga
Não conhecia esta Senhora da música, Bic Runga, confesso que é a primeira vez que oiço falar, neste caso que oiço cantar! foi depositada na minha caixa de correio electrónico e devo confessar que gostei imenso.
É uma pena eu ser uma nabiça a postar ou adicionar umas músicas aqui no blog...

domingo, 10 de junho de 2007

Apesar de já ter pulicado aqui esta foto, faço-o novamente.

A minha Pina Bausch.

Bateu-me uma saudade....

quarta-feira, 6 de junho de 2007

segunda-feira, 4 de junho de 2007

A viagem






Pelo meio encontramos um tubarão

sábado, 2 de junho de 2007

Enquanto...

A Estrada do Sucesso
Há alguns anos atrás

Deste por ti numa encruzilhada

Sabias que tinhas muito que andar

Só não sabias qual havia de ser a estrada
Querias dar-te a conhecer

Fazendo o que gostavas de fazer

E desse modo, talvez chegasses a enriquecer

E apontaste
À estrada do sucesso

Não é caminho fácil, não

Que eu também por lá andei

Sei o que custa vender

O que nos vem no coração
Bates à porta da companhia

E se acaso lhes agrada a tua melodia

Assinas um contrato e a partir daí

Eles tratam de te entregar à multidão
Pensa bem
Se te dá gozo viver

E ainda és novo

Não te esgotes para nada

Guarda um pouco do teu melhor

E leva-o contigo até ao fim da estrada


O público pode ser cruel

A ponto de um dia veres todo o teu mel

Falsificado, envenenado, transformado em fel

Se te entregares
À estrada do sucesso

Não é caminho fácil, não

Que eu também lá tenho andado

Sei o que custa vender

O que nos vem no coração
Bates à porta da companhia

E, se acaso, lhes agrada a tua melodia

Assinas um contrato e a partir daí

Eles tratam de te entregar à multidão
Vê lá bem
Não sei se o faça, se não

Estive a pensar noutro dia

Se hei-de vender a minha alma

À Companhia
Mas por mais que eles me pagassem

Era sempre eu quem perdia

Eu gosto muito de dinheiro

Mas gosto mais de alegria

Enquanto houver estrada para andar

A gente vai continuar

Enquanto houver estrada para andar

Enquanto houver ventos e mar

A gente não vai parar

Enquanto houver ventos e mar

Jorge Palma

quinta-feira, 31 de maio de 2007

quarta-feira, 30 de maio de 2007

quinta-feira, 24 de maio de 2007



Queria tê-lo feito em menos tempo, um record, mas só consegui fazê-lo com diferença de quinze dias...torcer o pé pela segunda vez

(Imagem retirada da net)

sábado, 19 de maio de 2007

Este dia de sábado começou assim, com um céu azul, sem ponta de nuvem...mas se vos mostrar como ficou a tarde...é melhor não!

Que os dias vos sorriam 8)

quarta-feira, 16 de maio de 2007

choco kisses

Today a have a lot of



Kisses with a feeling that

I Miss You ALL

Que o dia vos sorria... 8)

segunda-feira, 14 de maio de 2007

em viagem... ... ...

Eu sei


Eu sei, tudo pode acontecer

Eu sei, nosso amor não vai morrer

Vou pedir, aos céus, você aqui comigo

Vou jogar, no mar, flores pra te encontrar


Não sei, porque você disse adeus

Guardei, o beijo que você me deu

Vou pedir, aos céus, você aqui comigo

Vou jogar, no mar, flores pra te encontrar

...