quarta-feira, 28 de setembro de 2005

o Homem de Borracha

Graciosamente saímos da Praia para a batalha(naval- água com fartura)

O homem de borracha atira-se ao mar, por ele passam cardumes de pequenos e grandes peixes pratedos. A luz que se reflecte na água transforma tudo ainda mais fascinante.

Ingratidão ser peixe com um homem de borracha por perto!

Os peixes passam inocentes e ingenuamente por um traiçoeiro bricalhão, com a mesama arma que os ilude para a superfície, a mesma arma os roubará ao mar...


Agradecemos ao homem de borracha...

3 comentários:

N disse...

E novidades, não?

golpe.de.asa disse...

Um pouco mais de sol- eu era brasa.
Um pouco mais de azul - eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa...
Se ao menos eu permanecesse aquém...

(...)

Mário de Sá-Carneiro fica bem no azul do céu, no azul do mar... que saudades do mar!

Ana disse...

obrigada golpe de asa